quarta-feira, 13 de maio de 2015

O que fazer em Fortaleza? 20 dicas de programas gratuitos (ou quase!) para fazer no centro da cidade

Muitos fortalezenses e visitantes acham que a capital do Ceará não tem patrimônio histórico, com a ideia de que a cidade só tem praia, balada e muita curtição. Mero engano!! Fortaleza apresenta um rico patrimônio histórico-cultural, concentrado essencialmente no centro. São museus, igrejas, praças, prédios e monumentos que contam e fazem a história da capital alencarina.

O que fazer no centro da cidade?


A capital do Ceará tem tanta opção do que fazer e conhecer, que apenas uma passada por suas ruas não lhe darão a dimensão do mundo que ali é. Mesmo quem está rotineiramente acostumado com a cidade, se surpreende com as belezas de suas histórias, do passado e do novo andando juntos. Ir ao centro de Fortaleza é encontrar de tudo um pouco. Comer pastel com caldo de cana no Leão do Sul é "de lei". Jogar conversa fora na Praça do Ferreira também. Resolvemos criar um mapa com 20 dicas de locais e programas para se fazer pelo centro, totalmente gratuito ou com preços bem acessíveis. É claro que a cidade tem muito mais a mostrar, são quase 300 anos de história com seus altos e baixos. Iremos apresentar uma espécie de guia com o melhor da cidade para passeio em família e/ou com crianças (nosso foco), sem gastar quase nada. Bom demais, não é?



Esta série, que começou em nosso instagran @rodandopeloceara (clica aqui e segue a gente lá), com a hastag #centrodeFortaleza, vem agora reunida no blog destacando o melhor do centro da nossa capital. As dicas funcionam como um roteiro que o visitante poderá fazer em 1-2 dias. Acima, colocamos um mapa sinalizando os locais de visitação com seus devidos endereços.

Duas dicas importante: atenção aos dias de funcionamento dos equipamentos culturais para não ter erro na sua visita. E não esqueça de levar água! O calor em Fortaleza geralmente é grande e este é um passeio que você fará essencialmente a pé ou de bicicleta (ver sobre isso na nossa 20ª dica), desfrutando do melhor do aspecto histórico-cultural do centro da cidade. Por fim, é preciso lembrar que ainda com seus percalços, Fortaleza não deixa a desejar a nenhuma capital brasileira, como mostraremos a seguir.

_________


1ª Dica - Comece o passeio pela Casa de Cultura Poeta Juvenal Galeno, uma instituição cultural construída pelo poeta em 1888 e usada como residência e depois como instituição cultural pelo próprio poeta. O solar de paredes verde muitas vezes passa até despercebido por quem passa na movimentada General Sampaio. Lá ele viveu até morrer, aos 95 anos, no ano de 1931. A casa abriga um valioso acervo biográfico, a biblioteca pessoal de Galeno, totalizando seis mil volumes, além de dois auditórios, sendo o principal com capacidade para 120 pessoas. Funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e localiza-se na Rua General Sampaio, 1128.

2ª Dica - Visite o imponente Theatro José de Alencar, considerado como um dos teatros mais bonitos do Brasil. Inaugurado em Junho de 1910, é aberto ao público e oferece visitas guiadas de terça-feira a sexta-feira a partir das 9h e aos sábados, domingos e feriados a partir das 14h. Entrada: R$ 2,00 a meia e R$ 4,00 a inteira. No último domingo do mês a entrada é gratuita. Durante a visitação é possível conhecer o Jardim Burle Marx. O Theatro fica na Rua Liberato Barroso, 525.

3ª dica - Logo em frente ao Theatro José de Alencar, tem-se a Praça José de Alencar. É uma das praças mais antigas da cidade. Seu primeiro nome foi Praça do Patrocínio (por causa da Igreja do Patrocínio construída logo ao lado). A praça recebeu o nome de José de Alencar em 1929. Nela encontra-se a estátua de José de Alencar onde, na sua base, estão gravadas cenas dos seguintes romances do autor: O Guarani, Iracema, O Gaúcho e O Sertanejo. O monumento foi edificado por ocasião do centenário do seu nascimento. A praça, apesar de ter sido "tomada" por ambulantes, artistas populares e bancas de jogo do bicho, é um ícone importante da história do Ceará e merece a passagem do visitante, que podem sentir um pouco da energia contagiante do centro da cidade e seus folclores.

4ª dica - Na outra extremidade da Praça José de Alencar, temos a Igreja do Patrocínio. Conta a história que em 1849 o cabo da esquadra Fortunato José da Rocha disparou um tiro contra o Capitão Jacarandá, mas acertou o joelho de Alferes Luis de França, que estava ao lado do capitão. Vendo o risco de perder a vida, Luis de França fez o voto à Nossa Senhora do Patrocínio, que se escapasse, faria uma igreja em sua devoção. (Fonte: Fortaleza em Fotos). Apesar da agitação contínua nos arredores, o templo é bem calmo e reflexivo. A Igreja, recém-reformada, está toda estruturada e com novas dependências para bem acolher os que passam pelo centro de Fortaleza.

5ª dica - Comer pastel e tomar caldo de cana na Leão do Sul "é de lei" para quem visita o centro de Fortaleza. A matriz, que fica na Praça do Ferreira, na Rua Pedro Borges, 193, tem o charme do lanche rápido ao pé do balcão. O local se confunde com a própria história da cidade. É lá que você vai recarregar as energias para aproveitar bem o dia de passeio. Com quase cem anos (foi fundada em 1926), o ambiente é simples, mas aconchegante. Eleita por diversos anos como o "melhor pastel da cidade", quem prova faz uma verdadeira viagem no tempo através do paladar através da tradição e história. Para muitos, é como voltar ao tempo de criança. É uma tradição saborosa que se cultiva e se passa para as próximas gerações. Funciona de segunda a sexta, das 9h às 18h e aos sábados das 9h às 13h30.

6ª dica - A Praça do Ferreira é quase que um espaço folclórico da cidade, dada as histórias lá vividas e recontadas ao longo dos anos, algumas ecoando até hoje na memória de cearenses e de quem visita a cidade. Inaugurada em 1933, o nome da praça homenageia um ex-vereador, Boticário Ferreira. O ícone da Praça sem dúvida é a sua coluna da hora, um relógio localizado no centro da mesma. Em 1933 tinha um estilo Art-Decó, mas em 1967 foi derrubado, sendo novamente construído em 1991, bastante diferente. Tudo girava em torno da praça e se ela pudesse falar, sua história daria um filme que poderia ser reproduzido ali mesmo no Cine São Luiz. A história mais conhecida, sem dúvida, foi o dia em que o sol foi vaiado. Era janeiro de 1942 e o Ceará enfrentava uma grande seca. Depois de dias de muito sol de "rachar o quengo", algumas nuvens se formaram, mas o astro rei teimou em aparecer, vermelho e imponente. Naquele momento, um pequeno grupo vaiou e a história virou mais um causo da praça. Outra situação que tornou-se folclórica envolve o Bode Ioiô, um bode que tornou-se famoso no início do século XX por frequentar os bares e cafés ao redor da praça.

Está gostando das nossas dicas? Você acompanha essas e outras em primeira mão lá no nosso instagran @rodandopeloceara. Basta clicar aqui e nos seguir.

7ª dica - A Igreja do Rosário foi feita pelos da Irmandade da Nossa Senhora dos Pretos, numa época onde havia clara separação do espaço entre brancos e negros e nos templos religiosos não era diferente. Lá eram celebradas missas e enterros. Major Facundo, inclusive, foi sepultado em pé no local, onde existe uma lápide com inscrições relativas ao fato. É a igreja mais antiga de Fortaleza e foi tombada pelo Patrimônio Histórico em 1986. Fica na Rua do Rosário, 2, na Praça dos Leões.

8ª dica - Praça dos Leões. A Praça General Tibúrcio é mais conhecida como Praça dos Leões, em virtude das três estátuas de leões que têm na praça. Sua origem remota ao ano de 1887 e em 1888 construíram a estátua do General Tibúrcio (que dá nome a praça), cearense herói da guerra do Paraguai, sendo esta a primeira estátua de Fortaleza. Os leões vieram de Paris, no início do século XX. É lá também que encontra-se a famosa estátua em tamanho natural da escritora Rachel de Queiroz sentada em um dos bancos da praça.


9ª dica - É também no centro de Fortaleza que o visitante irá conhecer o Museu do Ceará. O local, criado em 1932 em um estilo neoclássico, é a primeira instituição museológica do estado. O museu abriga um grande acervo de peças e talvez a mais famosa seja o Bode Ioiô (aquele que gostava de passear na Praça do Ferreira), que foi imortalizado ao ser empalhado logo após a sua morte e doado ao Museu. Também é possível apreciar relíquias como o chapéu, batina e bengala de Padre Cícero, um punhal que pertenceu ao cangaceiro Lampião e também a primeira planta da cidade de Fortaleza. O Museu fica na rua São Paulo, 51. As visitações acontecem de terça a sábado, das 9h às 17h e são gratuitas.

10ª dica - Espaço Cultural dos Correios. Localizado em um prédio com belíssimos traços arquitetônicos, construído em 1932, espaço surge em 2005 (data de sua inauguração oficial, mas que funcionava informalmente desde 1994) como um ponto de concentração de cultura com mostras gratuitas. Está muito bem localizado, na rua Senador Alencar, 38, próximo ao Museu do Ceará e o centro cultural do Banco do Nordeste. Funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h e aos sábados, das 8h às 12h.

11ª dica - Após apreciar as mostras e exposições no Museu do Ceará e no Espaço Cultural dos Correios, é a vez de sentir toda a tradição do interior do Ceará e do nordestino na famosa Travessa do Crato, uma pequena rua com suas lojinhas cheias de elementos onde tudo lembra a vida interiorana. É lá que se encontra de pinico a cela de cavalo, de comida a doces típicos. As pequenas lojas que em sua maioria preservam - ainda que sem nenhum tipo de cuidado - as características dos comércios antigos do velho centro, chamam a atenção e que levam o visitante a uma volta ao passado. Não pode-se deixar de ir a uma das mais tradicionais lojas da Travessa, que é a Raimundo dos Queijos, uma espécie de mercadinho de produtos regionais (com destaque pro queijo e a paçoca) e bar.

12ª dica - No vai e vem frenético no centro de Fortaleza, poucas pessoas têm dado atenção ao Sobrado Dr. José Lourenço. Um dos casarões mais antigos de Fortaleza, localizado na Rua Major Facundo, 154, que antes chamava-se Rua da Palma. A edificação foi o primeiro prédio de três andares construído no estado e que cumpria, anteriormente, a função de residência e consultório do médico Dr. José Lourenço de Castro e Silva, nomeado primeiro médico sanitarista da então província do Ceará, tendo, ao longo dos anos, funcionado como oficina de marcenaria, fábrica, repartição pública e até bordel! Depois de ficar anos abandonado, foi tombado pelo Governo do Estado em 2004 e restaurado em 2006. Abriga salas para exposição, auditório e café e funciona como um espaço de convivência das artes visuais do Ceará. Funciona de terça à sexta, das 9h às 19h, sábados das 10h às 19h e aos domingos, das 10h às 14h, com entrada gratuita.

13ª dica - Apreciar as manifestações do Centro Cultural Banco do Nordeste. Localizado na Avenida Conde d'Eu, 560, o espaço hoje revitalizado era o antigo mercado público da cidade. Sua programação é totalmente gratuita, promove manifestações e atividades voltadas para público diversos. Destacamos dois projetos que vão fazer a diferença no seu passeio. O primeiro deles é o História Passo a Passo, uma caminhada cultural pelo centro histórico da cidade. Mas se você está na cidade com crianças, o passeio ideal pra se fazer no sábado a tarde é o Trem da História, onde, após a apresentação do teatro infantil, inicia-se o passeio de trem pelos ruas e avenidas do centro, um verdadeiro tour trazendo memórias e fatos. Ambos acontecem aos sábados e os passeios são guiados pelo turismólogo Gerson Linhares. No trenzinho, a criançada tem ainda a ilustre companhia do Bode Ioiô. Muitos dos pontos citados nesse post são apresentados nesse passeio.

14ª dica - A vez agora é conhecer a Catedral Metropolitana de Fortaleza. Inspirada na catedral francesa de Notre Dame, a Catedral de Fortaleza foi projetada por George Mounier, engenheiro francês, e construída no local da antiga Igreja da Sé, cuja obra levou 40 anos para ser concluída (1938-1978). Suas torres chegam a 75m de altura é o grande destaque do centro histórico. Com estilo gótico-romano, tem capacidade para cerca de 5 mil pessoas e é a terceira maior do País. Embora seu exterior aparente mal cuidado, é um templo imponente e majestoso. A noite, uma iluminação especial destaca-o ainda mais. Os vitrais existentes são lindos e causam um grande impacto nos visitantes. Fica próximo ao Mercado Central e tem missa todos os dias (exceto segunda-feira).

15ª dica - Logo ali ao lado da Catedral, encontra-se um dos pontos turísticos mais procurados por quem visita a capital cearense: o novo Mercado Central de Fortaleza, inaugurado em 1998. É lá que poderá ser encontrada uma variedade de produtos e lembranças da terra, desde roupa a comida, cachaça a enfeites, redes, de castanha de caju a toalhas de rendas e muito mais... Este mês foi lançada a sua rede wi-fi gratuita. O local tem 5 pavimentos por onde se espalham mais de 600 lojas (sendo que um deles é para estacionamento, que é pago). Funciona de segunda a sexta, das 8h às 18h, aos sábados das 8h às 17h e aos domingos das 8h às 13h.

16ª dica - Em frente ao Mercado Central, tem-se a Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção. É o marco inicial da fundação de Fortaleza e o próprio nome da cidade faz referência a esta antiga fortificação. Construído em 1649 pelo capitão holandês Matias Beck, foi reconstruído por diversas vezes em virtude das invasões sofridas na época. Há um pequeno museu dedicado ao General Antônio de Sampaio, bem como é possível conhecer a cela onde esteve aprisionada Bárbara de Alencar. Também existe uma estátua do Martim Soares, considerado "o fundador do Ceará". É aberta ao público para visitação, guiada por militares, de segunda a quinta-feira, das 9h30 às 11h30 e das 13h30 às 16h30; na sexta-feira, das 8h às 12h e aos sábados, das 9h às 13h.

17ª dica - A Praça dos Mártires, mais conhecida como Passeio Público, é a mais antiga praça da cidade e originalmente era dividida em três níveis, uma para cada classe social (alta, média e baixa). Foi lá também que aconteceu o assassinato público dos revolucionários da Confederação do Equador em 1830 (por isso o nome Praça dos Mártires). O Passeio Público ajuda a contar mais da história de Fortaleza e embeleza o centro histórico com sua fonte, bosque e uma bonita vista para o mar. Através da política de requalificação dos espaços públicos da cidade, foi totalmente revitalizado em 2007 e ressurge na cidade como cenário vivo e simbólico. Nos fins de semana tem uma programação cultural diversificada e agradável em meio a árvores centenárias, como o baobá ícone da praça, plantado por Senador Pompeu em 1910. Aos sábados e domingos tem-se a "Feijoada com chorinho" acompanhada de uma tradicional caipirinha no Café Passeio, bem como famílias fazem piqueniques e aproveitam a programação destinada aos pequenos.

18ª dica - Logo em frente ao Passeio Público você poderá visitar o Museu da Indústria. A edificação, que data de 1871, era a sede da Sociedade União Cearense, o primeiro clube social da capital. O Museu possui mais de 2 mil metros quadrados distribuídos em espaços diversos e tem como proposta valorizar e preservar as memórias de cinco séculos de desenvolvimento industrial cearense. Destaca-se a exposição "História da Industrialização do Ceará", uma verdadeira viagem no tempo com um seleto acervo físico e tecnologias interativas, onde o visitante encontrará desde máquina de costurar couro, peças de engrenagem de moinho e uma balança de algodão do século XIX, além de acesso virtual ao acervo de outros museus do mundo. Aberto das 9h às 19h, de terça a sábado, com acesso gratuito.

Fachada do Museu da Indústria do Ceará 

19ª dica - Ainda pelo centro, o visitante poderá conhecer o Centro de Turismo, mais uma excelente opção pra encontrar artesanato e peças tão típicas da nossa terra, fugindo inclusive da lotação do Mercado Central na alta temporada. No local funcionava a antiga cadeia pública de Fortaleza e hoje, além das mais de cem lojinhas, funciona ainda dois museus, o de Minerais e o de Arte e Cultura Popular. Você pode visitar o local, na Rua Senador Pompeu, 350, de segunda a sexta das 8h às 18h; aos sábados das 8h às 17h e aos domingos das 8h às 12h.

20ª dica - Por fim, você pode fazer toda a programação acima de bicicleta, através do programa Bicicletar em Fortaleza, que são bicicletas distribuídas em estações e que ose apresenta como uma opção de transporte não poluente e sustentável. No Centro, você encontrará estações na Praça da Bandeira, Praça Coração de Jesus, Praça do Ferreira, Centro Cultural BNB e Passeio Público. O passe diário (apenas para uso eventual, sem cadastro, usando pelo aplicativo ou ligação de celular) custa R$ 5,00 e é válido por 24 horas. Também há opções para passes mensal e anual. Maiores informações através do site http://www.bicicletar.com.br/. Você também pode conferir clicando aqui a nossa experiência com o Bicicletar.

Uma dica final: conheça a ONG Fortaleza a Pé (clique aqui) que desde 1995 promove caminhadas culturais em prol da educação patrimonial de Fortaleza. Você pode agendar um passeio com o turismólogo Gerson Linhares através do telefone (85) 8835.9915.

É isso, pessoal! Se tiverem gostado das dicas, deixa um comentário no final do post, esse retorno é muito importante pra nós que fazemos o #rodandopeloceara.

___________

Quer conferir mais sobre a cidade de Fortaleza? Veja mais dicas de passeios e atrações na cidade.


Compartilhe as informações com seus amigos, nas redes sociais abaixo. Viaje mais, conheça o Ceará!
Postar um comentário