sábado, 24 de outubro de 2015

Rota dos Mercados Públicos de Fortaleza: História e Gastronomia

O que fazer em Fortaleza? Já pensou conhecer os seus mercados públicos? Realizar turismo em uma cidade vai muito além de conhecer seus pontos mais badalados. E é "destrinchando" espaços fora das rotas tradicionais que encontramos novos olhares, novos sabores e novas perspectivas sobre cada destino. Foi por isso que vimos com muita alegria a proposta da Prefeitura de Fortaleza, através da Secretaria de Cultura, do projeto Roteiros Culturais, onde fortalezenses e turistas puderam realizar no mês de Outubro/2015 visitas culturais a três mercados da capital, com mediação do arquiteto Lucas Rozzoline, da Coordenadoria de Patrimônio Histórico e Cultural da Secultfor, e de Kerla Alencar, que realizou pesquisa sobre o Mercado São Sebastião, uma das paradas da rota (você poderá conferir toda a pesquisa clicando aqui). E claro que não podíamos perder essa oportunidade, participando assim da atividade!

Fachada do novo Mercado da Aerolândia, que será reinaugurado em breve.

A história dos mercados em Fortaleza tem início no ano de 1809, com a construção do Mercado de Farinha no prédio onde hoje funciona o CCBN, destinado na época à venda de cereais. 

Em 1896 foi inaugurado um novo mercado público, chamado de Mercado de Ferro, visto que sua estrutura era composta de dois pavilhões em ferro fundido. Em um pavilhão eram comercializados carnes, frutas, peixes e outros produtos mais perecíveis e no outro eram comercializados cereais. O Mercado do Ferro, junto com o Mercado da Farinha, foi durante muito tempo responsável pelo abastecimento da cidade (ver foto ao lado). 

Segundo Lucas Rozzoline, um dos mediadores desse roteiro, ao longo dos anos as pessoas foram se apropriando do espaço e "reconstruindo" o mercado a sua maneira e necessidade, em alvenaria, de forma livre, sem nenhum tipo de planejamento, tendo sido desativado no final da década de 30. Nesta época já comercializava-se de tudo, muito além das carnes e cereais, mas também artesanato, roupas, animais e muito mais!!



Um novo mercado público em Fortaleza é então inaugurado, cuja projeto é composto basicamente por um pavilhão de concreto com estrutura de pilares e coberto com tesouras metálicas feitas com trilhos de bonde. A fachada, com vãos abertos que se mantêm até hoje, garantiam melhor luminosidade e circulação de ar no ambiente.

"Em 1937 o Mercado de Ferro é então desativado. A sua bela estrutura de ferro em art nouveau foi dividida em duas partes destinadas à construção de outros mercados: o Mercado dos Pinhões, na praça Visconde de Pelotas, na Aldeota; e o Mercado São Sebastião, na Praça Paula Pessoa." Fonte: Secultfor

O Mercado dos Pinhões permanece até hoje com a estrutura recebida. Tombado como bem cultural em 2006, é um dos "caldeirões culturais" da cidade, com uma agenda bastante diversificada e palco de uma ampla programação artística e gastronômica, como a feira orgânica e festival de arte e cultura alimentar, além de dança, música, literatura, fotografia e outras manifestações culturais que movimentam o Mercado por quase todos os dias da semana.




A segunda parte do Mercado de Ferro foi destinada para a construção de um novo mercado, na época o São Sebastião, permanecendo até o ano de 1968, quando mais uma vez a estrutura foi transferida para um novo endereço, agora na Aerolândia.


Durante a visita, podemos conhecer um pouco mais da história dos mercados e apreciar todo o trabalho de restauração da estrutura de ferro no novo Mercado da Aerolândia, que será reinaugurado em breve. Os vitrais são um destaque a parte da obra, ganhando vida com a luz do dia!


Nossa última parada se deu no Mercado São Sebastião, para fechar com chave de ouro esse roteiro pelos mercados de Fortaleza. Considerado como o principal mercado público da capital, o espaço reúne muito além de frutas, verduras, carnes e produtos artesanais. A diversidade cultural e gastronômica do Mercado fazem dele parada obrigatória para quem quer conhecer mais da tradição de "ser cearense".



Após a retirada da estrutura de ferro, em 1968, o "São Sebastião ganhou galpões de alvenaria com com telhas de amianto. Essa estrutura permaneceu até a década de 1990, quando o Mercado ganhou sua forma atual, principalmente de alvenaria, através de reforma promovida pelo então prefeito Juraci Magalhães, em 1997, com projeto do arquiteto Fausto Nilo". Fonte: Boa Notícia



Foi movida pela paixão e curiosidade pela história do São Sebastião, que a jornalista Kerla Alencar, mediadora da nossa visita, realizou uma ampla pesquisa sobre a tradição culinária neste mercado. No local, facilmente são encontrados iguarias da nossa gastronomia, como a buchada, a panelada, sarrabulho, entre outros. O Mercado também abastece restaurantes e cozinhas diversas com produtos não só do Ceará, mas também de outros estados. Diz-se que o que não encontra no São Sebastião, não encontra em Fortaleza!





Finalizamos nosso tour com um almoço, apreciando da nossa culinária regional e certos de que seria importante que esse roteiro fosse mais divulgado e, por que não?, oficializado pela Prefeitura de Fortaleza.



Ficou com curiosidade de conhecer mais dos mercados públicos de Fortaleza? 
Veja maiores informações sobre o projeto de tradição culinária no São Sebastião clicando aqui
Clicando aqui você vai conferir a programação e informações do Mercado dos Pinhões.

___________
Quer conferir mais sobre a cidade de Fortaleza? Confira mais dicas de passeios e atrações na cidade.


Compartilhe as informações com seus amigos, nas redes sociais abaixo. Viaje mais, conheça o Ceará!
Postar um comentário

Curta nossa fanpage

Se inscreva no nosso canal

Nossos parceiros

Fazemos parte